top of page
  • Foto do escritorAna Sou

ReConhecer os sinais

ReConhecer os sinais... ou não? Exemplos da vida...


À medida que vamos crescendo vamos tendo tendência a deixar de ouvir a nossa voz interior, a nossa intuição, a nossa essência que sempre nos guia. Não é bom nem mau, faz parte do processo. Reconectarmo-nos depende da nossa escolha, do nosso livre arbítrio mas, quer escolhamos dar esse passo ou não, os Seres de Luz que nos envolvem e que Nos São no caminho, continuam à espera, sempre dispostos, sempre plenos de Amor e sem qualquer tipo de julgamento.

Os sinais podem aparecer-nos como um calafrio ou como uma sensação de familiaridade quando conhecemos alguém, como um aperto no estômago ou suores frios quando estamos preste a embarcar numa aventura que nos é prejudicial, como uma voz que de repente surge do nada e diz-nos o que temos de ouvir... mas ainda assim duvidamos e a nossa mente exige provas. Todos fazemos o mesmo, uns mais outros menos. E também há aqueles que em tudo vêem sinais, o que por vezes os deixa em estado de confusão.


Como discernir?

Aceitando o que vem sem julgamento ou sem ideias premeditadas, permitindo-nos ficar a zero, sem qualquer emoção até que a resposta seja discernível em nós ou facilmente visível.


Hoje vou partilhar convosco alguns exemplos...

Ontem quando estava a chegar a casa uma ex aluna minha, hoje em dia uma mulher feita e sempre maravilhosa, telefonou-me em desespero a pedir orientação. Disse-me ela que tinha consultado as cartas e que tinha perguntado ao pêndulo (por mais de uma vez e a outras pessoas, que também tinham cartas e pêndulos, para validar a resposta) e que a resposta tinha sido afirmativa - no sentido do que ela desejava - sem que, no entanto, a realidade se estivesse a manifestar desse modo.

Dispus-me a consultar os Anjos e a resposta foi clara... ela teria de aceitar o que se estava a passar... o seu crescimento pessoal e espiritual passava por essa aprendizagem e sempre que os nossos desejos e vontades envolvem outra pessoa temos de aprender a respeitar e aceitar as escolhas dos outros tal como gostaríamos que aceitassem as nossas. Esse é o verdadeiro sentido do Amor... Amar o outro de modo que mesmo que nada recebamos em troca, o Amor permaneça. O verdadeiro Amor nada exige, Ama apenas.

Por muito que ela perguntasse não estava a conseguir desvincular-se do objetivo pretendido, daí as respostas terem sido enganadoras.


Esta manhã, dei Iniciação de Reiki nível II e a minha menina de 8 anos também participou, recebeu a Iniciação e deu os seus contributos. Quando eu falava de que nos bastava pedir, ela deu o exemplo de quando estava mau tempo e a Mãe a ia levar a escola, de esta pedir ao Arcanjo Miguel, para limpar os céus, por favor! - e quando chegava o momento de sair do carro a chuva tinha parado e o mau tempo acalmado... depois acrescentou... já com o Papá não é assim... chove, chove, chove.


Por volta da hora de almoço, li uma partilha Linda que escolheram fazer comigo hoje e que vou transcrever, com autorização e respeitando o anonimato...

"Não vai acreditar no que me aconteceu ... estou a chorar!

Pedi um sinal de um anjo, um anjo com quem tenho conversado muito e tenho pedido ajuda, o Arcanjo Miguel.

Pedi-lhe à 2 dias que me desse um sinal, um sinal para eu poder seguir ir em frente ... por vezes enquanto meditamos, pensamos e sentimos coisas e depois vem-nos à cabeça se será a nossa mente ou algo mais que poderemos estar a desenvolver.

Neste caso, ao CONECTAR-ME COM OS ANJOS ATRAVÉS DA MINHA INTUIÇÃO, eu pedi que me desse um sinal terreno, pedi uma pena, pedi que fosse algo que visse, mas falei mentalmente numa pena, num sussurro ou um cheiro, para ter a certeza que estou no caminho certo e que vai correr tudo bem (estou em fase de transição a nível profissional e pessoal também).

Acontece que tive o sinal... Nas minhas escadas estavam 2 penas brancas entrelaçadas."


Sorrio de coração grato e pleno... e lembrem-se para saber a resposta basta Ser, basta Sentir, basta Pedir!

1 visualização

Posts recentes

Ver tudo

Existir ...

bottom of page