Preocupação com o corpo

Mensagens "Do Corpo"

O nosso corpo comunica connosco enviando-nos mensagens através da dor e das doenças. Tudo tem um Propósito e qualquer mal estar ou doença tem uma raiz emocional, um bloqueio energético associado, um karma a consciencializar, integrar, curar, honrar e amar e um Dom a resgatar.
Nesta página irás encontrar algumas das mensagens que este te pode dar.

Tornozelo

Os tornozelos são as articulações que nos conectam à Terra. Através destas encontras a tua estabilidade ou não.
Quando os tornozelos doem percebe que é chegado o momento de parar, enraizar, amar a Terra ao caminhar, beijar o solo com as plantas dos pés.
Quando eles doem é um convite a estabilizar e a trazer o sonho à realização.

Quando o tornozelo direito dói é um claro convite a dar início a uma nova fase da vida, é o perceber o princípio e a origem, a perguntares-te e a responderes à questão "Qual é o meu Propósito?" e iniciar a caminhada nesse sentido, uma vez que quando ele dói te convida a alinhar com o teu verdadeiro Propósito.

Quando é o tornozelo esquerdo a doer é um claro convite a Ser em presença, perseverança, transcendência e voo mágico, ou seja, é um claro convite a trazer a memória do Eu Cósmico à concretização terrena amando tudo o que É e que te rodeia, amando profundamente o planeta e todos os seres, sendo vibração pura de amor Incondicional para com todos os seres.
É um claro convite a estar Sempre presente no "aqui e agora" com total fé, consciência, resolução e propósito.
É quando já reconheces o teu caminho de alma aqui e te permites caminhar na consciência do Ser primordial, é quando transcendes todas as limitações e perseveras ao longo de todas as vagas da vida, reconhecendo, estando em presença, sendo.

Joelho

Os joelhos representam a flexibilidade.
Quando os joelhos doem convidam-te a perceber em que ponto estás a ser inflexível para contigo mesma(o) e para com o outro.
A dor nos joelhos também carrega memória karmica.
Quantas vidas terás tido em que foste obrigada(o) a ajoelhar, a vergares-te perante as circunstâncias ou foste vergada(o) por imposição?
Permite-te perceber que há um Propósito Maior em Tudo e que já foste tudo, a vítima e o algoz e que tudo está bem.
Reconhece a tua "im"perfeição e flui.
Esse é o maior convite.

Quando é o joelho direito que dói tens também um convite a aceitar a dualidade de tudo quanto é, um convite a viver o equilíbrio sem julgamento pois tudo está como tem de ser, um convite a perceberes qual é o teu maior desafio nesta experiência de Vida.
Não entendas um desafio como algo que te traz sofrer e sim como algo que catapulta o teu crescer.
Ao fazê-lo aceitas a dualidade e avanças em consciência, ser e agir.

Quando é o joelho esquerdo a doer o convite é a cooperar com o outro, a universalizar.
"Como te dedicares a tudo o que tem vida? Como Ser?"
É quando percebes que o teu maior Dom está em fluir e Ser com o Outro, é quando abres o coração e procuras a solução em que todos saiem beneficiados, é quando ages em Serviço e não em proveito próprio.
Quando este joelho dói analisa-te, pára e consciencializa em que ainda te moves pelo medo e não pelo amor e permite-te fluir sem querer controlar o outro ou as situações.

Quando a dor é na panturrilha, a zona por trás dos joelhos, percebe que estás a ser alvo de ataques energéticos densos e procura limpar, purificar e energizar os teus corpos físico, mental, emocional e energético com exercícios ou orações próprios (nesta página encontras um álbum dedicado a).

Anca

A anca é o que sustenta o nosso cálice sagrado e faz a ligação com os membros inferiores através das suas articulações. Liga a raiz ao cálice, ao Sagrado, ao centro.
Quando tens problemas ou dor nas articulações da anca, mergulha em Ti e permite-te ver em que medida honras o sagrado e o amor em ti ou não.

Quando é a articulação da anca direita que dói é um convite a perceber se se está a servir, no sentido de se ser grato por todas as experiências e no sentido de auxiliar o outro da maneira única em só nós podemos auxiliar. Cada um tem uma expressão muito própria de Ser, uma assinatura energética única, honrá-la e a sacralidade a ela inerente é Servir o próximo e a nós mesmos com Amor.
Rejeitar qualquer energia em si, é renunciar à dádiva, ao Dom, ao Sagrado, à Criatividade da Cocriação diária em Amor e Gratidão e tal renúncia é expressa em dor.
Como elevar o cálice se as asas estão partidas?

Quando é a articulação da anca esquerda a doer é um convite a libertar, a fluir. Percebe o que te limita, ao que te agarras, seja material, emocionalmente ou ao nível da mente, das crenças limitadoras, dos medos e liberta-te.
Dissolve todas as formas de pensamento que te limitam e retiram do teu próprio poder e permite-te brilhar a tua própria luz.

Pulso

Os pulsos ligam os braços às mãos.
Com auxílio destes permites-te dar e receber, cura, afago, carinho, nutrição, amor.
Permites-te também concretizar e agir.

Quando a dor é no pulso direito é um convite a perceberes qual a medida que estás a aplicar no teu viver. Estás alinhada(o)?
Estás a honrar todos os elementos de igual maneira?
Estás em equilíbrio ou em esforço no viver?
Estás a permitir e a fluir ou a colocar muita força em tudo quanto fazes?
Estás a usar o poder do discernimento ou estás só a tentar "ir a todas" sem rumo nem ordem?

Quando é o pulso esquerdo a doer é um convite a perceberes se estás a manifestar o que em verdade está alinhado com a tua Alma e Propósito.
A cada instante estás em processo de cocriação da realidade, tua e do todo.
Estás a cocriar conscientemente ou por hábito, alimentando medos, crenças e resistências?
Ao responderes a estas questões percebes o foco e inicias a cura.

Cotovelo

Diz a sabedoria popular que dor de cotovelo é inveja e não deixa de ter razão...

Quando é o cotovelo direito a doer é uma clara mensagem a perceberes onde estás a abdicar do teu poder pessoal. É um convite a irradiares desde o teu centro, honrando o teu poder pessoal, expandindo a tua essência e sabedoria para que os outros a possam sentir e receber.
Quando isso te falta, és capaz de lidar bem com esse irradiar por parte do outro ou sentes-lhe a falta?
Com esta energia íntegra em ti e a falta curada, tudo te é possível, tudo é permitido, tudo é alcançável.

Quando é o cotovelo esquerdo a doer percebe onde colocas a tua intenção.
Sabes o que te motiva? Sabes como atingir as tuas metas? Sabes o que fazer para cumprir com o teu Propósito de Alma ou não?
Permite-te conheceres-te pois o único bloqueio à manifestação é confusão ou falta de clareza no sentido a tomar, no que fazer.
Com uma intenção precisa, clara, focada, alinhada vem a manifestação da abundância que é tua por Direito Divino.
Só quando estás em falta contigo mesma(o) é que podes desejar ter ou ser o que outro tem ou é.
Honra-te, conhece-te, manifesta-te, Sê.

Ombro

Costuma-se dizer que é nos ombros que se carrega o peso do mundo e esse é um claro sinal de sobrecarga energética densa.
Realizar exercícios e orações de limpeza e harmonização energéticas auxiliam e aliviam sempre, chegando a mesmo a aliviar completamente.

Quando a dor é no ombro direito é um claro convite a perceberes onde é que na tua vida há desarmonia e falta de equilíbrio.
Faz a ti mesma(o) as seguintes questões:
"Sou capaz de me ajustar às constantes mudanças que a vida tem para oferecer ou ofereço resistência?"
"Sou capaz de agir com equilíbrio, igualdade, harmonia, estabilidade, permitindo-me compensar onde for necessário sempre que sentir o apelo de?"
Respondendo a estas questões promoves a integração da introspeção, ou seja, intuis, vês a verdade de ti e ages de acordo sem segundas intenções, ego, medo ou resistência.

Quando é o ombro esquerdo a doer é um claro convite a perceberes onde não estás a ser íntegra(o), onde não estás a dar o melhor de ti e também onde não estás a reconhecer s tuas imperfeições humanas.
Ao responderes à questão "Eu vivo aquilo em que acredito?" encontras a integridade e vives em harmonia sendo um verdadeiro exemplo a seguir, pois estarás a refletir a tua verdadeira essência interior.

Pescoço

O pescoço é a articulação central do corpo humano. Aquela que faz o equilíbrio entre as lateralidades, que une o tronco à cabeça, que faz a ligação da kundalini com os chakras superiores.

Sendo a sétima articulação principal do corpo, seis do lado direito, seis do lado esquerdo, funciona como o fiel da balança e está relacionada com a simbologia do sete: o Propósito Divino, a duração de cada fase lunar, os sete dias da semana, o princípio, o meio e o fim de cada micro ciclo de transformação (a vida desenrola-se em ciclos de 7 anos e de 13 anos, sendo que estes últimos respondem a cada uma das grandes questões da Vida, tal como cada uma das articulações principais que também são 13).

Quando o pescoço dói, ou te magoas no mesmo, é um claro sinal de que não estás em harmonia com as energias superiores. É um convite a relacionares-te com o teu Eu Superior para mais facilmente seres um canal de Amor e inspiração Divinas.
Dá particular atenção à ressonância de pessoas, lugares, situações, pensamentos, emoções, conversas e vê com o que te sintonizas para perceberes o que te nutre o espírito. Ao fazê-lo reconheces em que vibras e estás capaz de escolher, deixando tudo o que te constrange e fere, vibracionalmente, de lado.