top of page
  • Foto do escritorAna Sou

O Ankh – o Exorcismo – o Amor

No dia 23 de novembro vi o símbolo de Ankh nos céus. Já há alguns dias que andava a sentir a energia a mexer, que andava a sentir a activação da Kundalini, do chakra da terceira visão em contínuo ajuste e das hélices de ADN em expansão.

Esta noite passei-a a sonhar com o Ankh e a receber indicações de como iria expor este assunto interligando-o com algo essencial a esta fase do processo vibratório energético e multidimensional que estamos a vivenciar.


O Ankh é o mais antigo símbolo de poder de que a Humanidade tem conhecimento, sendo que ele transcende a própria Humanidade, na origem, na missão e no poder.


Podem vê-lo frequentemente em representações do Antigo Egipto na presença de Ísis, Osíris, Horus, Toth e outros Deuses. Os próprios Faraós gostavam de ter um em seu poder e fazerem a transição com uma das suas representações. Não me vou alargar sobre a mitologia associada pois é muito fácil encontrarem informação. O que vou transmitir foi o que recebi.


O Ankh representa a Vida, a sustentação, a conexão, a criação e vibração de tudo quanto foi, é e sempre será. Chegou até nós com as primeiras civilizações, ainda anteriores à Lemúria e à Atlântida, uma vez que a Vida não teria sido possível no planeta sem a sua presença multidimensional, tal como não o foi possível em todas as galáxias habitadas antes desta e a que alguns de nós assistiram na concepção e no desenvolvimento.


O Ankh é um Portal Vida, contém em si o princípio Criador Divino Feminino e Masculino, Mãe-Pai num só. É a Chave para a criação, para a activação, para a protecção e para a sustentação da Vida. Quem se conecta multidimensionalmente ao Ankh está protegido na sua linhagem ancestral, estelar e cósmica e na sua descendência, uma vez que ele está intimamente conectado com a Árvore da Vida, com a Lemniscata e com a representação do eixo vertical, princípio feminino, e horizontal, princípio masculino, sendo um activador da força vital e dos códigos inscritos na Criação. Códigos que têm sido transmitidos pelo ADN em nós inscrito e que hoje em dia estão a ser activados pelo acordar das hélices adormecidas do ADN e pela memória das células. Entendam que o nosso ADN - a nossa Kundalini - é uma grande antena e Pen cósmica onde está codificada toda a memória da Génese.


Assim sendo, e dada a purga que a energia da Terra está a ser sujeita com a intensificação de conflitos que mais não fazem do que apelar à nossa escolha consciente, pondo de lado os sentimentos condicionados pelo medo, pelo instinto, pela vingança, pelo drama e incitando-nos a escolher e a vibrar pela compaixão, em presença, em consciência, em integridade e em Amor. Lembrem-se: esta é uma escolha de cada um de nós. Ninguém é imune ao pedido, à responsabilidade de escolher e cada um de nós é a chave para o mudar da sua vibração pessoal e da vibração do Todo. Quando te escolhes, elevas o Todo.

É aqui que surge a necessidade cada vez mais premente de exorcizarmos o negativo em nós, nas nossas vidas e na nossa energia.


Ultimamente, em praticamente todas as terapias que realizo, sou levada a encaminhar seres desencarnados, entidades, obsessores, espíritos presos à Terra, transtornos psíquicos, toxinas espirituais, cordões etéricos e ataques psíquicos presos ao corpo, aura, mente, humor e ambiente de quem procura auxílio.


Digo encaminhar e auxiliar a transmutar. Não anular ou eliminar.


Contrariamente ao que o exorcismo na sua génese “católica” indica, quando se age em consciência, não se anula nada. O que acontece é o encaminhamento e a transmutação para que o que está a causar distúrbio ou transtorno encontre a sua própria via de acesso a dimensões superiores de consciência. Ninguém é ninguém para anular nada. Tal seria incorrer do mesmo erro do obsessor. A nossa Missão é vibrar em Amor por tudo sem excepção percebendo que em cada “tu” está um “eu”, um “nós”, não havendo separação. Assim sendo, nesta Era que vivemos, importa termos consciência que se elevarmos a nossa vibração e pensarmos, sentirmos, falarmos e agirmos pela energia da compaixão e do Amor estaremos a encaminhar tudo o que vibra energeticamente em níveis mais densos de consciência e a tornarmo-nos imunes a esses, enquanto auxiliamos ao aumento da vibração do Todo.


Ao conectarmo-nos à consciência presente no Princípio Criador Mãe-Pai Divinos que nos ensina que tudo tem um propósito, que nada é ao acaso, conectamo-nos à chave que vai activar os códigos da Árvore da Vida em nós, ao Ankh. Ou seja, conectamo-nos ao Portal Vida, protecção, sustentação.


Seja em meditação, seja pronunciado o seu mantra, desenhando-o ou usando-o com um talismã, liga-te ao Ankh como uma chave para purificares os teus níveis energéticos, ascenderes em consciência e seres, em verdade, o que nasceste para Ser, Amor!


Obrigada! Obrigada! Obrigada!

Eu Amo-Te-Me!


Ana Sou

4 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Existir ...

Comments


bottom of page