top of page
  • Foto do escritorAna Sou

2016 – o que significa?

2016 – o que significa? O que esperar … ?


Por muito que me guie pelo Sincronário da Paz, vulgo Calendário Maia, e entenda que o novo ano começa a 26 de julho, tal como todos vós vivo numa sociedade que segue o calendário gregoriano e como acredito que no caminho do meio, aquele que vibra pela unificação de todas as ideologias, de todas as crenças, está a verdade continuo a sintonizar-me energeticamente com o que um novo ano apresenta.


2016 é uma ano de vibração 9 que contempla em si a combinação 20 e 16.

O que isto significa?

De 1900 a 1999 vivemos um século comandado pela vibração 19. A vibração da transformação, da tormenta, o número de Deus de acordo com os Maias, um número que pessoalmente me rege e que ensina o relativizar do sofrimento, a sua aceitação como purga, purificação, perdão, libertação e cura.


Se observarmos o século XX podemos dizer que este foi intenso em medidas extremas, em actos de sofrimento atroz que aos poucos foram conduzindo a uma maior consciencialização e à decisão colectiva de travar o processo destrutivo, que aconteceu com a Convergência Harmónica em 1987 (da qual já falei em vídeos), e assumirmos o compromisso de dar vida a uma Nova Terra.


O século XXI, regido pela vibração do 20, que para os Maias também era um 0, uma vez que estes tinham uma contagem de 0 a 19, contemplando 20 números, aponta para uma nova Consciência, para uma renovação. Todo um caminho foi percorrido do 0 ao 19. O 20 representa um novo patamar de integração, aprendizagem e consciencialização que é atingido e nos mostra que estamos prontos para lançar as bases do que acordámos: uma vida em integridade, compaixão, cocriação, manifestação e amor.


A vibração da combinação 16 aponta para o caminho do Guerreiro da Luz, daquele que se rege pelo Propósito Divino sem olhar à individualidade e atentando no Bem Maior do Todo e de Todos. É também o caminho da Experiência de Vida, o caminho da necessidade de mudar, do despertar espiritual (agora colectivo), do ver da verdade para além das formatações, para além da Matriz do Medo, do Poder, da Ganância e da Ilusão, ou seja, do libertar de todo e qualquer sistema de crenças que seja aviltador e controlador e que nos afaste da verdade Divina. Um caminho de despertar.

A junção destas duas combinações apresenta-nos um Ano com vibração 9.


Quanto a mim, a designação que encontro para este ano é o “Ano do Desapego”.

Como agires de acordo com a/o Mestre que És se não estiveres disposta(o) a deixar ir toda e qualquer situação, crença, sofrimento, hábito, vício, karma que te tem mantido presa(o) à roda de Samsara?

Como encerrar ciclos sem consciencialização, sem cura, sem perdão, sem compaixão, sem Amor?

Como fazê-lo se continuares a enterrar a cabeça na areia culpabilizando tudo e todos (desde o sistema ao patrão, ao parceiro(a), à economia, ao estado na nação)?


Este, em verdade, é o Ano do Eremita, do Mestre que se purga, se encara, se aceita, se encontra, se vê e se dá sem nada esperar do Outro, na verdadeira consciência de que o que obtém é um reflexo de si e que como tal a nova Terra começa em si mesmo. Começa na forma como sente, pensa, age, cuida (de si próprio, respeitando o seu corpo templo e só depois do outro e do planeta) e Ama.


É o ano de viver a Mestria da Humildade e da Partilha. O ano de perceber que somos o Uno mas que este só subsiste com a junção do Todo. É o ano da dissolução da separatividade. Eu e Tu não existimos, o que existe é um Nós.

Vamos ter momentos chave ao longo do ano. Alturas que todo o Universo estará a conspirar a nosso favor. Alguns destes serão o alinhamento planetário que estamos a viver de 20 de janeiro até 20 de fevereiro (mais uma vez o 20, porque será?), o equinócio da Primavera, a ascensão de Sírius nos céus, a reactivação do Portal 8-8-9, um mês de Setembro (mês 9 fortíssimo) com a activação do Portal 9-9-9 e o equinócio de Outono e a reactivação dos Portais 11-11-9 e 12-12-9.


A seu tempo mais irei escrever sobre, assim o meu Propósito mo permita …

A Terra já iniciou o processo e não há volta a dar. Como sempre a escolha é tua. Ou largas o padrão do Medo e deixas de te afundar na mesmice sonâmbula e envenenada da propagação das notícias de guerra, fome e maus tratos ou te concentras na mais alta vibração a que conseguires aceder e em compaixão, escolhes aceder e enviar Amor, Luz e Paz a TODOS sem excepção.


Lembra-te: só é Mestre aquele que o for de si mesmo. Só é Mestre aquele que aceita percorrer os caminhos escuros da Alma, resgatar, aceitar, curar e amar a sua sombra e só depois dar-se ao outro, dar-se à luz e ao Mundo, renascido e Íntegro!


Ana Sou

1 visualização

Posts recentes

Ver tudo

Existir ...

Comments


bottom of page