Image by Julia Caesar

Relacionamento Sexual com dor

"Boa noite Ana.
Estou muito grata por ter descoberto que posso regular o meu ciclo menstrual com o meu ciclo lunar. Sempre soube que havia de haver uma resposta ao que o meu corpo me dizia: não tomar hormonas. Assim como faço com outras maleitas corporais, usar sempre o orgânico e o natural. Também haveria de haver uma resposta para isto. Nunca encontrei resposta até ver um comentário seu acerca de novos métodos contraceptivos.
Sempre tive distúrbios hormonais e desde sempre que a "cura" era a pílula. Com a idade e a minha consciência cada vez mais acordada sempre desejei muito não tomar a pílula e deixei de o fazer muitas vezes. Mas acabava por me sentir mal e perdida e voltava sempre. Nunca me protegi, nunca engravidei. Em dezembro de 2013 recorri à medicina alternativa para regular o meu período pois queria engravidar. Deixei a pilula em janeiro. Em abril já estava gravida.
Neste momento tenho uma bebé de 9 meses, ainda amamento.
As relações sexuais são dolorosas.
Mandaram-me tomar a pílula, mas eu não quero. Dizem que preciso de a tomar para voltar a ter hormonas que não tenho por amamentar e só assim poderei ter relações sem dor.
Preciso de ajuda.
Não quero tomar a pílula.
Quero governar o meu corpo sem químicos.
Quero amamentar mas quero poder ter sexo sem dor. Pode ajudar me de alguma forma Ana?"
T S

"Minha Querida,

Eu Sou imensamente Grata pela tua presença, confiança, carinho e vibração!
Honro imenso a tua consciência de Mulher e Mãe e sinto que deves seguir a tua intuição.
Tenho uma menina de nove anos que amamentei até aos 14 meses e só não amamentei mais tempo porque tive um acidente e tive de tomar mesmo medicação.
Quanto à questão que me colocas, intui que o que te aflige é a secura vaginal. Ou seja, é verdade que amamentar implica a redução de estrogénio e que isso tem uma consequência física, que é uma menor lubrificação e elasticidade dos tecidos da vagina.
Não concordo que tenhas de deixar de amamentar ou tomar a pílula para resolveres esse assunto. Podes sempre recorrer aos lubrificantes de origem natural à base de óleos vegetais.
Os óleos essenciais, principalmente o de calêndula, também são excepcionais mas puros também são muito fortes e podem causar irritação.
Assim que intui o que te estaria a afectar fiz uma pesquisa e encontrei a informação que te vou passar...

Além de recorreres aos lubrificantes naturais também é sempre aconselhável fazeres a Bênção do Útero, tanto para te conectares com a tua Sabedoria como para curares tudo o que necessite ser curado e passares a teres ciclos alinhados.
Neste evento antigo, encontras toda a informação sobre a Bênçãos do Útero https://www.facebook.com/events/114398202246798/.

Relativamente aos óleos vegetais a considerar:

Calêndula (Calendula officinalis): este óleo é calmante dos tecidos, muito utilizado para curar ferimentos, tem ação anti-microbiana prevenindo assim as infeções e é anti-inflamatório.

Confrei - raiz ou folha (Symphytum oficinale): é um óleo muito hidratante (umedecedor), curativo e calmante dos tecidos inflamados. Ele também tem ótima ação emoliente devido seu teor de mucilagem (polissacarídeo complexo presente nas células vegetais com função de reter água e aumentar o volume, formando uma substância viscosa protetora)

Trevo vermelho (Trifolium pratense): também chamado de trevo-dos-prados, trevo-roxo, trevo-comum. O óleo macerado das flores é rico em isoflavonas, flavonóides, cumarinas, óleos essenciais, saponinas. Das isoflavonas as principais e mais importantes são: biochanina A, formononetina, genisteina e daidzeina, estas funcionam como hormônios fitoestrogênicos. É muito utilizado para tratar sintomas da menopausa, ressecamento e atrofia da mucosa vaginal e problemas dermatológicos como eczema e psoríase. Não deve ser utilizado concomitantemente com pílulas de reposição hormonal.

Hipérico/ Erva-de-São-João (Hypericum perforatum): é um óleo com propriedades antisséptica, bactericida, adstringente, cicatrizante, calmante e sedativa. Utilizado para tratar ferimentos leves. As flores são utilizadas em forma de capsulas, comprimidos ou infusões para tratar estados de ansiedade e depressão leve a moderada. Para utilizar esta erva sob a forma de fitoterápico (prescrição de cápsula ou infusão) procurar um profissional qualificado.

Yam Mexicano (Dioscorea villosa): também chamado inhame-selvagem, tem propriedades anti-inflamatória, colagogo, afrodisíaco. Este óleo contém a diosgenina que é considerado um fito-hormônio precursor da progesterona e por isso é muito empregado para tratar os sintomas da menopausa, cólicas menstruais, dores pós parto, infertilidade. A parte medicinal se concentra na raiz e rizoma da planta.

Coco (Cocos nucífera): este óleo é extraído da polpa do coco fresco maduro por prensagem a frio e não passa pelos processos de refinamento e desodorização. Ele é rico em ácido caprílico, mirístico e laúrico. O ácido caprílico é um ácido graxo presente em sua forma natural no coco e no leite materno. Tem função antifúngica e anti-infecciosa, bastante empregado para tratar candidíase. O óleo de coco nutre os tecidos e é umectante. Ele mantém a umidade da pele e mucosas e também trata irritações e inflamações. Fortalece o sistema imunológico.

Gérmen de trigo (Triticum vulgare): extraído por prensagem a frio do germe do trigo. O germe é a parte mais nobre do grão de trigo, é onde a nova planta começa a brotar, é onde se concentra a maior quantidade de energia vital. Este óleo é rico e vitaminas A, D, E, B1, B2, B3 e B6 além de ácidos gordos essenciais, proteínas e minerais. Ele tem excelente ação antioxidante e regenerativa. É aplicado para tratar irritações da pele, rachaduras e assaduras. Ele aumenta a oxigenação das células por ser vasodilatador. Devido seu teor de vitamina E, ele é bastante indicado para tratar infertilidade.

(informação retirada de http://quintaldebruxa.blogspot.pt/.../terapias-naturais... )

Espero ter contribuído para a solução do que te aflige, para a tua Harmonia, estabilidade e expressão de Amor!"
(...)

Ana Sou