top of page
  • Foto do escritorAna Sou

Uno Canto



Não me peças que cante O Amor dos Poetas Ou dos Amantes O Amor dos Romances Dos Dramas Dos Apegos e ilusões Constantes


Não me peças que cante Ou sofra O Amor dos que sentem Distância, ausência ou solidão Dos que só se sentem plenos Quando acompanhados O Amor dos que se mentem


Que Eu canto O Amor que enraíza E liberta Que sustenta e aconchega No inspirar do Ser Alento de Vida Eterna


Que Eu Canto Vida, prosa e poesia Planícies, cumes, vales, Mar e todas as paisagens Que habitam o estar


Pois em Mim e em meu redor Tudo o que vejo Sinto, contemplo Cheiro, saboreio Ouço, leio e desejo


Em corpo e útero Em mente, visão e espírito


É o Uno Canto Onde a distância e a separação No além do véu da ilusão São singelo e Eterno Átomo Que tudo une e permeia


Que Eu canto Expresso e Sou Singelo eterno Ser Alma viajante Que na Presença sabe que só o AMOR é Lar!


Ana Sou

9 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Comentários


bottom of page