Imagem de Peter Lomas por Pixabay 6

6° Chakra Frontal – Ajna

Corpo Búdico ou Monádico
Devoção
Todos os elementos – Nota Musical Lá - 96 Pétalas
Cor Predominante: azul índigo

O sexto chacra, também conhecido por ajna que em sânscrito significa o chacra do comando. Este chacra, que possui a cor anil ou azul índigo (azul escuro), situa-se no intercílio, que é a região localizada entre as sobrancelhas (este é o famoso "terceiro olho" que segundo os tibetanos confere sacralidade à testa). Ele governa a glândula pineal que está localizada entre os hemisférios direito e esquerdo do cérebro. A pineal funciona como mediadora das funções do corpo. Recebe dos olhos informações ativadas pela luz exterior através do hipotálamo e envia mensagens hormonais, que afetam a mente e permitem que o corpo se adeque ao meio ambiente. Funciona como glândula e como órgão e segrega a melatonina. Este chacra também governa a glândula pituitária responsável pela produção da endorfina (hormona tranquilizante que causa uma agradável sensação de bem-estar). Rege o ouvido, nariz, maxilar superior, seios da face e parte do cérebro. Desempenha papel importante na expressão da personalidade e, quando ativo, gera um indivíduo atraente e magnético, rico de recursos e com capacidade de liderança.

Este lótus aparece circundado por duas pétalas uma branca e uma negra representando as duas asas do caduceu, o bastão de Hermes, que é o atributo do Terapeuta. As cores observadas são rosa e amarelo de um lado e azul e roxo do outro. Sua função é o conhecimento, a perceção, a intuição e a clarividência. É o chacra da espiritualidade superior. Nos fenómenos mediúnicos é possível provocar a incorporação de qualquer espírito desencarnado (ou encarnado que esteja desdobrado do corpo físico) tocando com um dedo na área deste chacra, no médium, e ao mesmo tempo projetando energia para sintonizá-lo como o espírito comunicante. O chacra frontal desempenha um papel importantíssimo na vigília espiritual e em toda a química do corpo. Quando bem desenvolvido possibilita a clarividência e os poderes da psicometria. A ligação do chacra frontal é mais intensa com o corpo mental superior. Corpo da inspiração que dá origem às ideias antes de tomarem forma. É o plano dos seres arcangélicos: Miguel, Uriel, Rafael e Gabriel.
Para equilibrar este chacra o mantra é OM.
É o responsável pela irrigação energética dos olhos.
Bem desenvolvido, facilita a clarividência e a intuição. Por vezes, a sua atividade cria uma palpitação na testa ou sensação de calor. Parece um coração batendo na testa.
Rege o plexo nervoso: Hipotálamo, pituitária autónoma; o sistema fisiológico: Sistema Nervoso e o sistema endócrino: Pituitária ou Hipófise. Comanda o cérebro inferior, olho esquerdo (da personalidade), ouvidos, nariz e o sistema nervoso. É o chacra do idealismo e da imaginação, reflete a visão interior e como ela é exteriorizada. Tem a capacidade de visualizar e compreender conceitos mentais (inteligência) e pôr em prática as ideias. Devido à importância e abrangências deste chacra, serão muitas as doenças possíveis, como todos os tipos de cancros, devido ao desequilíbrio hormonal provocado por atitudes mentais desarmónicas. A consciência atua como fator modificador, processando a cura.

Relaciona-se com o corpo Sabedoria ou Monádico. Conexão e compreensão com o mestre interior, com a fonte de sabedoria e busca da unidade, o Pai. Representa a expressão individualizada no nível da essência ou o Eu perfeito. Nessa camada, junta-se ao amor (cardíaco) com o êxtase espiritual (frontal) e é criado o amor incondicional. Sente-se o amor por tudo e identifica-se com o Divino.

Influência no emocional

Quando equilibrado: ativa a perceção do indivíduo em relação ao universo que o cerca, entendimento do próprio caminho e sentido do destino, compreensão da motivação do outro, perceção, intelecto aguçado, intuição, visão desenvolvida, fé, amplitude de pensamento, concentração, sabedoria que une a mente e a vida, clarividência, profecia, erradicação dos erros, devoção, força, perseverança, autoconfiança, carisma e magnetismo.

Quando em desequilíbrio: dogmatismo, teimosia, obsessão, egoísmo, magia negra, maldade, manipulação consciente, poder de dominação, mente insidiosa e doentia, formalidade, intolerância, arrogância, autoindulgência, perda da fé, medo, sedução.

Influência no físico

Quando em desequilíbrio: renites, sinusites, alergias, enxaqueca, problemas de ouvido, surdez, problemas dos olhos, cegueira, catarata, insanidade, depressão, rigidez, insónia, pesadelos.

Quando equilibrado: realização do self, mentalidade aberta, expansiva, crescimento espiritual, entendimento dos erros, tolerância, humildade, suavidade e amor, liderança com grande poder magnético.

O Uso das Cores Para a Cura

O índigo é uma cor cuja perceção e descrição nos é difícil de descrever. Trata-se de uma cor intensa, às vezes quase negra, mas sempre apresentando uma tonalidade vermelha. Aprender a diferenciar o índigo é em si mesmo, um bom exercício para desbloquear e ativar o chacra frontal. Use o índigo para treinar a perceção; o turquesa para a lucidez e o malva para ajudar no sistema hormonal.