top of page
  • Foto do escritorAna Sou

Quando Te Permites ser chão


Nada Te quebra ou fere, simplesmente aprimora.

O Caminho d@ que se transformou é feito de altos e baixos, de pedras, vales, escarpas e cumes.

É feito de precipícios e de voos.

É feito de novo olhar, perspetiva, sentir e liberdade de Ser.


Quando Te Permites ser chão, mudas visão, abres-Te, largas amarras e reconheces que há um caminho do meio, um permear entre Céu e Terra onde Te podes escolher e manifestar, sem medo, fantasmas passados, presentes ou futuros.

É um convite a ser ponto

sem reticências, exclamações, interrogações ou vírgulas hesitações.


Quando Te Permites ser chão vês aragem, poeira e brilho e nada te deslumbra pois sabes-te sustentação, sabes-te raiz, coração, ação húmus quente útero, num inspirar de Alma no silêncio que Te envolve e contempla.


Quando Te Permites ser chão és fusão. Fora ou dentro, acima ou abaixo, opostos desistem pois a escolha é Omnisciência em Presença.


Quando Te Permites Ser chão,

és buraco negro,

ponto Uno,

original 'luminescer'...


ÉS ...

até porque o próprio Céu é

chão de estrelas,

planetas, cometas e Cosmos

numa eternidade presente

serena de vazio ou preencher


Chão Sou.


AMOTE

SOMOS


Ana Sou

4 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page