top of page

Animais de Poder - Xamânicos

A Abelha vive em comunidade e sabe se organizar para tal.
As pessoas que trabalham com a medicina da Abelha são aquelas que conseguem coordenar e liderar grupos e ensinar que é possível viver em harmonia em comunidades, mesmo onde existem diferenças filosóficas.
O Respeito à individualidade é a base da liberdade.
Em algumas tribos, a abelha está relacionada com a energia feminina guerreira, aquela que sabe a hora certa de permanecer em silêncio para encontrar dentro de si mesma a força e a intuição para agir no momento correto.

A abelha tem uma das mais bem organizadas estruturas sociais.
Excelente construtora, a sua colmeia tem um design perfeito e o depósito de mel em forma hexagonal, denota equilibro e é um símbolo do coração e da doçura da vida, encontrada no intimo de cada um de nós.
Os favos de mel são relacionados ao Sol e a todas as energias a ele associadas.
A abelha ensina como extrair o mel da vida, para tornar a nossa existência mais fértil e brilhante e lembra-nos também que o sonho é importante se criarmos condições para realizá-lo no plano concreto.
Muitas tradições associam a abelha à energia da sexualidade (criação) e à fertilidade. O seu ferrão foi associado ao falo e na Índia este animal está ligado a Vishnu, Krishna e Kama, deus do amor.
Para os Egípcios a abelha era símbolo de realeza ou do Deus Sol, por um lado associando-o ao raio e, por outro, declarando que a abelha teria nascido das lágrimas de Rá, o deus do Sol, ao caírem sobre a Terra. Já para os celtas simboliza sabedoria oculta.
“DAT ROSA MEL APIBUS” (A ROSA dá o Mel às Abelhas) é um conhecido símbolo ROSA Cruz.
Para os nosairitas, heresiarcas muçulmanos da Síria, ALI, O Leão de Alá, é o príncipe das abelhas, as quais, de acordo com certas versões, seriam os anjos, e, segundo outras, os crentes: os verdadeiros crentes (em Deus) se assemelham às abelhas, que escolhem para si as melhores flores.
Na linguagem metafórica dos dervixes Bektachi, a abelha representa o dervixe e o mel é a divina realidade (o Hak) por aquele buscada. Da mesma maneira, em certos textos da Índia, a abelha representa o espírito que se embriaga com o pólen do conhecimento.
Personagem de fábula para os sudaneses e para os habitantes situados dentro da curva do rio Níger, ela já é símbolo da realeza na Caldéia, muito antes de ser glorificada pelo Primeiro Império francês através do manto de Napoleão.
Símbolo da alma humana, a abelha é por vezes identificada com Deméter na religião grega, em que pode simbolizar a alma descida aos infernos; ou então, ao contrário, materializar a alma saindo do corpo. Pode-se reencontrá-la como símbolo na Caxemira e em Bengala, em numerosas tradições indígenas da América do Sul, como também na Ásia Central e na Sibéria.
Finalmente, Platão afirma que as almas dos homens austeros reencarnam-se sob a forma de abelha. Figuração da alma e do verbo – em hebraico, o nome da abelha, Dbure, vem da raiz Dbr, palavra -, é normal que a abelha desempenhe também um papel iniciático e litúrgico em culturas antigas. Na Grécia antiga, nos ritos de Elêusis e Éfeso, as sacerdotisas são chamadas de abelhas.
Encontramo-las representadas nos túmulos das culturas antigas como sinais de sobrevivência além-morte, pois a abelha torna-se símbolo de ressurreição. O inverno (três meses), durante o qual parece desaparecer, pois não sai de sua colmeia é comparado ao período (três dias) durante o qual o corpo de Cristo fica invisível, após sua morte, antes de reaparecer ressuscitado.
Entre os ocidentais a abelha foi considerada o símbolo da realização do impossível uma vez que os cientistas não conseguiam compreender como ela podia voar se as suas asas, muito leves, são desproporcionais ao seu corpo. Nota que aerodinamicamente é impossível, aos biólogos, explicarem sua capacidade de voar ... conectares-te com ela é invocares a tua própria capacidade de ir mais além do que tu ou os outros pensem ser os teus limites.

A abelha simboliza, ainda, a eloquência, a poesia e a inteligência e a sintonia com o canto da Vida através do seu zumbido.
Prosperidade, celebração, concentração, comunicação e convivência pacifica são os presentes que recebemos quando trabalhamos com a medicina da Abelha - o néctar da vida.
Se estiveres vivendo momentos de tristeza por perdas, deixa que a Abelha te ensine sobre a arte da celebração da vida. Pois a Abelha ensina como extrair o mel da vida, para fazer nossa existência mais fértil e brilhante e nos lembra também que o sonho é importante se criarmos condições para realizá-lo no plano concreto.

As pessoas desse Totem são obstinadas, com senso de responsabilidade e trabalham, basicamente, para o coletivo.
No equilíbrio da Natureza, o papel da abelha é fundamental uma vez que todo o ciclo da Vida depende da polinização.
A nós, humanos, a abelha alerta que a oportunidade de provar do elixir da vida - doce como o mel - é nossa, se soubermos seguir nossos sonhos, por isso ela traz-nos, também, questões que devem ser criteriosamente avaliadas: a primeira pede um exame da nossa atividade para sabermos se estamos ou não fazendo com que a nossa existência seja mais fértil. Estamos a trabalhar demais ou apenas o suficiente para atender ás nossas necessidades? Estamos a permitir que os nossos desejos e sonhos fluam? Ou será que estamos a reprimir a nossa energia criadora?
O seu aparecimento pode ser uma confirmação do que já intuímos como necessidade de mudança ou um alerta. Quantos de nós neste mundo não nos tornamos viciados no trabalho, às vezes por necessidade das condições financeiras em que nos encontramos, e outras para fugirmos à nossa essência e aos riscos de vivê-la plenamente, deixando de sonhar e, portanto, de realizar, criar, e seguir nossos desejos...
Em que ponto desta roda te encontras? Tens saboreado o néctar da vida dando-te asas para sonhar?
ACREDITA.
Sente a sua mensagem...sonha, segue os teus sonhos, concretiza.
Sonhar se nada fazer é fuga, sonhar e concretizar, é Propósito alcançado.

Quando tens a Bênção de te deparares com uma Abelha Rainha percebe que essa é uma clara mensagem da Grande Mãe Deusa para que te assumas e cuides da tua prole, familiar, terrena e cósmica. Assim como a Grande Deusa assim tu.
Confia, expressa a alquimia do ouro da Vida nas tuas ações, pensamentos, palavras e emoções e nutre o coletivo com a divindade que te habita.
Sê sem medos, desculpas ou hesitações e aceita que outros te assistam no processo, criando a tua comunidade.

Ana Sou

ABELHA

This is placeholder text. To change this content, double-click on the element and click Change Content.

Read More
A medicina do alce inclui vitalidade, força, paixão sensual, respeito pelos seres do mesmo sexo, agilidade, nobreza e habilidade de organização.

Este é um animal capaz de correr grandes distâncias, que não se preocupa se chega em primeiro ou último e ensina a gerir o esforço para conquistar o que se pretende alcançar.
Ensina a persistir no propósito pois a sua tenacidade é ímpar.
Extremamente atentos e perspicazes ensinam a observar as energias e a proteger-se, uma vez que eles sentem o perigo no momento certo e quando tal acontece dispersam em todas as direções para confundir o predador. Ou seja, ensinam a sentir, proteger e neutralizar.

Como é um animal de grupo convida a viver em grupo sem que no entanto se esqueça a necessidade de recolhimento e solidão, pois ocasionalmente eles são vistos sozinhos.
Estar no grupo com consciência de Ser é fundamental.
Como animal pleno de vitalidade também tem necessidades energéticas muito próprias que lhe são dadas pela alimentação.
Se este é o teu animal de poder procura alimentar-te de alimentos orgânicos, saudáveis, pouco processados, ingerir muita água ou tisanas naturais para colmatar as fases de esgotamento físico ou cansaço.

O Alce ensina a arte da sobrevivência e quando provocados são bastante perigosos, pelo que se tiver tendências agressivas, deve aprender a trazê-las ao consciente para as integrar com naturalidade sem permitir que estas tomem conta de si e dominem a sua vida e as suas ações. A melhor forma de equilibrar a tendência a comportamentos agressivos é agir com justiça e aprender a sentir a energia antes de agir.

Ana Sou

ALCE

This is placeholder text. To change this content, double-click on the element and click Change Content.

Read More
A aranha é a tecelã do universo, da Vida!
A mensagem mais importante da aranha é que és um ser infinito que continuará a tecer os modelos da vida e vivendo inteiramente o tempo.
Foi o primeiro ser vivo que desenhou a mandala.

A Aranha é o símbolo das infinitas possibilidades da criação, foi ela que nos ensinou, através dos símbolos da sua teia o segredo do alfabeto primordial. As suas oito pernas simbolizam os quatro ventos da mudança e as quatro direções da Roda Sagrada, o Círculo da Vida.

É o símbolo da criatividade e das artes em geral.
Traz prosperidade em tudo o que se faz. Convida-nos a usar a força feminina da criatividade, uma vez que é o ciclo da imaginação criadora.

É a teia da vida, a manifestação da magia de tecer os nossos sonhos, o poder de criarmos as condições necessárias para o nosso desenvolvimento pessoal, pelo que não devemos ficar presos na teia do medo e limitados.
Usemos o nosso poder de criação, pois assim teremos abundância e prosperidade.
Procuremos abrir a nossa mente e vejamos a magnitude dos planos do Criador.

Pede-nos para termos consciência que o amor-próprio e o amor ao próximo são a matriz criadora. Nos relacionamentos não sejamos críticos nem autodestrutivos. Há sempre algo a fazer. Tudo pode mudar.

Invoca a medicina da aranha para obter independência e coragem, para romperes com as armadilhas que crias, sejam espirituais ou emocionais, para seres cocriador(a) da tua Vida em consciência, conexão e amor.

Como curiosidade... quando as aranhas andam muito de volta de uma mulher é símbolo de gravidez 😉

ARANHA

A aranha é a tecelã do universo, da Vida!

Read More
A águia é a medicina da clareza mental.
A iluminação, a visão ampla. É invocada para poderes xamânicos, para a coragem e a elevação do espírito a grandes alturas.
A águia ajuda-nos a ver a vida num contexto mais amplo, permitindo-nos tomar decisões e definir metas com clareza e objetividade, ver além.
Para os xamãs, a águia é sempre um aviso de iniciação, limpeza mental... é a luz que vem com o nascer do Sol!

As Águias são consideradas um bom augúrio. Elas representam a proteção, sabedoria, abundância, força, espiritualidade. Muitos xamãs dizem que quando se está a rezar ou a fazer cerimônias, e elas aparecem no ar, significa que as preces serão atendidas. A Águia carrega as nossas preces diretamente para o Grande Espírito.
Ela fala da energia e poder das Quatro Direções, do fluxo sagrado. Ela fala da verdade que ecoa em nossos corações e espíritos. E ela fala em andar na beleza.

A Águia é a mestra das alturas, ela mantém um perfeito equilíbrio entre a Terra e o Céu. Representa a energia solar. É o equilíbrio de três energias: o Céu simboliza nossa natureza espiritual, a Terra nossa natureza física e o Sol energia de vida. A águia guia e traz equilíbrio e harmonia entre essas três forças essenciais.

A Águia ajuda-nos a ver acima da ignorância, ela é a conexão do Eu Inferior com o Eu Superior. Os nativos norte-americanos dizem que ela voa perto do Sol, significando a iluminação do Grande Espírito. Ela ensina a atacar com coragem o medo do novo, do desconhecido, para conhecer novos horizontes, a ir por níveis superiores de consciência. É o símbolo da liberdade.

A Águia tem sido objeto de culto e reverenciada por muitos povos há milénios. É incontestável a força do seu simbolismo no inconsciente coletivo da humanidade. Curandeiros e xamãs usam suas penas como um importante instrumento de poder curativo.

Com os olhos da Águia podemos ver com a visão da luz solar clareando a verdade na escuridão da ilusão. Esta visão clara permite-nos ver à distância, para enxergar a nossa própria vida, livre de preconceitos e preocupações. Permite-nos voar longe dos limites dos detalhes, focando as coisas mais importantes e, desenvolvendo nossos espíritos.

A Águia ensina a ampliar a percepção sobre nós mesmos além dos horizontes visíveis.

ÁGUIA

This is placeholder text. To change this content, double-click on the element and click Change Content.

Read More
bottom of page